24 de jun de 2012

Anjo sem asas...By Janete Sales Dany


Sou anjo caído na estrada
Ajoelhado, com as asas quebradas
Nos olhos a amargura da solidão
Uma flecha pontiaguda atravessou o meu coração!

Meus dias estão incertos
Eu danifiquei a máscara
 Meu rosto está descoberto
Como voltar para casa?



Eu sou um vento frio!
Um pote vazio
Chuva gelada
Caminhos tortuosos na estrada

Quem passa não me vê
E quem me vê só quer me esquecer
Eu sou predestinado à solidão
Guardo os meus segredos no coração

Eu sou a canção que ninguém cantou
Restos do amor que se acabou
Eu sou a lágrima do humilhado
Um espírito cansado


Eu sou como a porta do cemitério
Todos os que entram nela, temem ir para o inferno
Eu sou o mistério que lhe tira o sono
Sou a angústia do abandono!

Anjo que não consegue e não quer voar
Sem as asas onde estão os motivos para sonhar?
A noite cai e as estrelas sumiram do céu, escureceu!
Esqueceram de mim e este destino é só meu!

Janete Sales Dany
Poesia registrada na Biblioteca Nacional

no livro:
Título: "EU VOU ABRAÇAR A VIDA!" E OUTRAS

Página 29
Registro: 606038
Gênero: Poesia


Imagens Google
Licença Creative Commons
O trabalho Anjo sem asas na estrada... de Janete Sales Dany foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

2 comentários:

  1. Oi Dany

    É preciso criar asas... é preciso.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi Van Boa noite amiga!


    Sim Anjo sem asas,

    não é Anjo!

    Beijos Querida

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para o CANTO CIGANO.
Diga-nos o que achou desse post.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...