15 de out de 2014

A LENDA DE NELSON MANDELA

 
Naquele tempo, depois de ser abolida a escravidão e a alegria enchia a terra
Eles, os mais poderosos, sempre orgulhosos e sedentos de riqueza e poder
Lentamente criaram uma nova divisão entre os homens, pela cor da pele
Sentiu-se mais no sul da África, num pais chamado África de Sul
Os da cor branca chegaram a achar que eram melhores que os da outra cor, foi quando
Nasceu um homem que se sentia livre e igual a todos os homens

Mesmo depois de ser preso e separado de toda a sociedade, para não falar
A sua alma livre e nobre continuou tão livre que compreendeu até quem
Num desesperado ato de perseverar o apartheid, era assim que chamava aquela
Doutrina que separava homens, mulheres e crianças pela cor da pele
E tanto falou e mostrou que todos éramos e somos iguais e devemos ser
Livres perante o Deus, a Justiça, a dignidade, a educação e a saúde que venceu... E...
Assim nasceu mais uma lenda na África e chamou-se NELSON MANDELA!


João P. C. Furtado

Praia,15 de Janeiro de 2014
Embaixador Universal da Paz - França - Genebra - Suiça - Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix
Embaixador de Poetas del Mundo para Cabo Verde
Delegado da U.L.L.A. em Cabo Verde
  

3 comentários:

  1. Belíssimo, Poeta João! Aplaudindo-te de pé! Grata pelo que li.
    Fraterno abraço, Marina da Paz.

    ResponderExcluir
  2. Maria da Paz

    É gratificante saber que gostaste do poema, minha poetisamiga!

    OBRIGADO

    ResponderExcluir
  3. Fraterno abraço! Lendo e relendo o seu inspirado poema!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para o CANTO CIGANO.
Diga-nos o que achou desse post.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...