27 de dez de 2014

CANDELABRO – UM CONTO DO NATAL NO CIRCO


MARINA DA PAZ

Novembro e Dezembro, no Circo.
Nas atividades da Kumpanya Krystal.
Palhaço, malabarista, bailarina, mágico, etc e tal.
Levando a alegria da Estrela-Guia do Natal.

Preces e louvores e, então, a última apresentação.
Peço ajuda aos amigos e companheiros de tantas caminhadas.
Ali fui o verdadeiro palhaço que fazia rir enquanto por dentro chorava...
E me peguei rindo, toda a turma de amigos brincando, me empurrando...Animada.

Semana Sagrada, sinal de recolhimento. Acabou toda folia.
Sentirei muitas saudades daquele leve coração
Que se unia ao meu, em inocentes brincadeiras.
Grata à oportunidade. Cigana... Sei que o desapego trará a união.
(mas como é difícil, daquilo que é belo e bom, se abrir mão...)

Choro e renovo o meu altar; Aquele, no centro do meu coração.
Preciso mexer no altar de Mãe Sara. Assim, trabalhar minha emoção.
De lilás, branco e roxo, passa a vermelho com dourado.
Mestres do Oriente e do Ocidente e o nosso Mestre tão amado...

Chove forte...  Água forte. Água dura.
Remove as feridas, os arranhões, transmuta. Faz a varredura.
Águia. Água sagrada, vem! Lava o céu e a terra.
Abençoa ao brotar, todos segredos e riquezas que aqui se encerra.

Raios e trovoadas trazem ao meu colo a minha companheirinha.
Anjo canino, “menina” levada, doce e, para sempre, Belinha.
Páro tudo o que estou fazendo. Ficamos quietas, aconchegadas.
Wladimir chega enérgico. Sorri. Em minha testa, uma corda perolada.

Ao meu lado, uma senhora morena clara de rosto redondo,
Cigana do Oriente Médio (?), cabeça e rosto envoltos
Num lenço vermelho...Mal fala português. Balbucia.
Kandel...Candel...Candelabro...À mente, labaredas soltas...

Ele facilita a comunicação dela, de maneira especial...
- Reparou que neste período cada filho seu recebeu um presente?
No Circo, recuperou-se o meu filho, em singela tarefa, não habitual.
Gratidão de Mãe...A cada deslocamento seu, retribuí aos seus amores. É Natal!

Instrumento simples, ainda tão pouco afinado...
Não poderia esperar...Lágrimas sublimes rolam pelo rosto...
Agora sim, após este generoso cuidado, o meu altar está pronto.
Pelo Amor vivi, o necessário fiz e farei, sempre com muito gosto.

Não julgo, apenas vivencio, porque reconheço minha ignorância.
Graus diferentes, porém enquanto humanidade, ainda somos muito crianças.
Deixemos renovar nossa entrega à Sagrada Infância! Esperança!
Para o Amor nunca existiu tempo, lugar, nem mesmo distância...

Azeite. Candeias. Cândido. Angelus.
Krystal. Candelabro-Lona de Circo, Eu Sou.
Ao Menino-Jesus e ao Fogo do Espírito Santo me abro.

Cand Angel. Candelabro de Natal. Candelabro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para o CANTO CIGANO.
Diga-nos o que achou desse post.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...