16 de jun de 2018

Ambiente e Cuidado com a Criação por *Profª. Drª. Marcia Varricchio

A evolução geológica no planeta nos conta a história do mundo…
O homem surgiu na face da Terra no mesmo período em que surgiram as flores…
O rastro químico-físico evolutivo das famílias botânicas nos diferentes continentes registra interações, adaptações e avanços.
Lamentavelmente, existem sim, grandes perdas na natureza, em especial como consequência da ação do homem, que ainda não exerce a consciência global.
Contudo, este rastro químico-físico-geobiológico também sugere que, para além da perda, existe a possibilidade de serem descobertas novidades que poderão impactar positivamente a vida no planeta.
Entre um estado e outro na natureza, existe um tempo que nos exige a necessidade ética de preservação, de cuidado, de investigação sobre fontes renováveis, de ações educativas visando à sustentabilidade.
Antes de tudo: Um olhar de gratidão! A ética é a expressão do amor em nós. A gratidão é o amor quintessenciado que abre as portas da compreensão, da maturidade, da saúde.
Vestígios de Deus…A natureza é pródiga, é farta, é doação, é oferta.
E é um convite…
A vida como um todo evolui em ciclos. Nascer, crescer, desenvolver, amadurecer, florir, frutificar (dar sementes), senescer e morrer.
Uma morte, porém, somente em parte… Pois a perpetuação da vida com todos seus atributos, adaptações (aprendizados), interações e potencialidades foi garantida ali, na semente…Semente jaz em potência e em ato.
A Natureza é a maior cuidadora, por isto é chamada de Mãe. Ela provê amorosamente, de forma atemporal.
Existem sementes que duram até mil anos em condições de brotamento quando o solo e o clima assim o permitirem (souberam da semente da tumba do faraó? Após cerca de mil anos, após ser descoberta, em condições favoráveis, ela germinou…).
Algumas árvores e plantas possuem uma ação contrátil (similar à uma contração uterina) e assim lançam suas sementes à luz e ao longe, para estas se dispersarem no ambiente, para serem levadas pelo vento, pelos bicos e asas dos insetos, pelos pêlos dos animais, pelas nossas roupas, etc.
Algumas espécies vegetais de difícil reprodução e permanência, são inclusive envelopadas para aumentar a chance de sobreviverem, tamanho o capricho da energia de vida a todas as formas de vida! Salomão já dizia…
Os tubérculos e os frutos que nos alimentam são a reserva nutricional que garantirá a vida daquelas sementes…E assim, garantem também a nutrição em todos os reinos: passarinhos, micos, lebres … Até aos seres humanos.
Na estação propícia a natureza se colore, atraente para borboletas, beija-flores e outros mais para que possam participar desta festa, fertilizando a partir da detecção com o olhar, com a sua ação, com a sua alegria.
Animais também seguem o mesmo padrão. Sabemos que animais selvagens até matam para sobreviver (se alimentar). São apenas selvagens, mas não são cruéis…Exemplo a ser refletido…
Jung já dizia sobre os arquétipos…Tais arquétipos estão presentes em diversas expressões da  natureza. Vegetais e animais possivelmente seguem padrões quânticos e (alguns) arquetípicos.
A consciência quântica gera a identidade quântica (DANAH ZOHAR & RICHARD MARSHALL, 2002). Imagens arquetípicas aproximadas também poderão corresponder a faixas da energia psíquica, da energia mental, às quais as pessoas se afinizam.
Em qual padrão você pretende habitar? Que tipo de olhar você prefere alimentar? Que tipo de contribuição você está dando ao mundo (e o impregnando? Afinada ou desafinada?)
Samuel Hahnemann, na filosofia da homeopatia, construiu teoricamente a imagem arquetípica aproximada da Unidade Harmônica do Ser: Corpo, Mente, Espírito dotado de razão, tudo isto permeado pela Energia Vital, ou seja, energia inteligente, autocrática, que a tudo harmoniza (e reharmoniza), mantendo a conexão com o todo.
Lembremos da proposta do sujeito quântico ecológico (sujeito eco-quântico) conectando padrões energéticos por toda natureza, através da informação passada pelos pacotes de energia já existentes e acessáveis em natureza. A boa notícia é que desde o século XX, experimentos em escalas infinitesimais sugerem que esta energia vital (quântica) reúne o macrocosmo ao microcosmo da criação dando-lhe sentido e direção,precedendo mesmo as informações genéticas(GIRI).
Esta é uma maneira de olhar associada a uma construção de entendimento que se aproxima do pensamento de Frei São Boa Ventura…
Em ciência, bem sabido é que a natureza é perpetuação, é nutrição, é diversidade, é inteligência estratégica, é evolução dinâmica, é cooperação.
Para além: Natureza é gratidão e cuidado.
É Comunhão.
São Francisco de Assis assim viveu:humílimo (semente em ato) e em comunhão (semente em potência, conectado àsesferas da dimensão maior da Vida).
Francisco leu a sabedoria do livro da natureza, profundamente acessada, pela energia de seu amor.
E o Amor? O amor é para todos! Existe em todos (criaturas de Deus).
O amor perpetua-se, multiplica-se, doa-se, difunde-se em todo universo crístico, onde o Cristo Cósmico habita e é!
Estudar, trabalhar, pesquisar, agir profissionalmente em qualquer área do conhecimento, será algo importante, claro. Mas será apenas uma bela parte do processo do viver rumo à plenitude.
Paulo de Tarso, apóstolo dos gentios, já nos alertava: “Se não houver amor, não adiantará saber todas as línguas, ciências, e etc…”
O princípio da precaução em bioética nos sugere que o outro lado da moeda também é importante: Línguas, ciências, artes, quando vivenciados e embasados na ética, conduzem-nos ao avanço em humanidade rumo ao desenvolvimento do Self.
Self ou o ser em inteireza. Como um todo em si e em relatividade em seu aspecto relacional com o outro, com o ambiente e com Deus) até o momento alcançado de ser em Deus…
Aqui passamos do deslumbre da descoberta de que o milagre da criação também dinamicamente se expressa, por intermédio de seu cuidado concretamente realizado via solos, flores, frutos e sementes, para a conscientização da necessidade de melhoramento de nossa conduta ética responsável, desenvolvendo a atitude de cuidado com a criação!
Como Santa Tereza D’Ávila agia: O Cuidado nas pequeninas (grandiosas) coisas, diariamente.
Não se iluda com o que não acrescenta e divide (em atos, palavras ou omissões). O outro também é extensão de mim. Não há como ferí-lo sem não me ferir primeiramente.
Nem perca todos os milagres que, momento a momento, ocorrem em nossas vidas e em todas as vidas!
Presentes presentes, bem aqui no presente…Rumo à Vida, ao Sumo Bem!
Você ainda não entendeu qual é o contínuo convite da natureza?
– Seja grato! Viva e deixe viver! Salut!
Natureza/Criação: Princípio e Valor!
*Profª. Drª. Marcia Varricchio – Médica (FMPFASE/UFRJ) e professora convidada do ITF.
Link para o texto original


13 de jun de 2018

Evento Ciência e Comunidade com a participação de representantes das etnias.

Palestra e debate
Ciência e comunidade

19 de junho de 2018
8 as 12 horas
URFJ -CCS- Bloco N - Sala 102

Marcia Varricchio/Marina da paz,
 falará sobre Diversidade 
e Clínica Interetnica e Intercultural.

2 de jun de 2018

TZARA DO BEIJA-FLOR - COMEMORA 10 ANOS PROJETO




Dez anos de projeto sócio-ambiental e espiritual, destinado à promoção e conservação diversidade biológica, cultural e étnica. Baseado na premissa da Organização Mundial de Saúde: “Pensar global, agir local”. Agimos em nosso local. Nos vários locais, com diferentes grupos, em diversificados espaços que se abriram, que respeitaram, acreditaram no projeto e, assim, o promoveram.

O beija-flor, em natureza, e na maioria das culturas, representa o simbolismo da polinização que garante a diversidade das espécies. Da fecundidade. Do ninho também. Ou seja, a imagem do beija-flor sugere: Doação. Afeto. Construção. Troca. Transformação.

É um projeto realizado enquanto ação entre amigos. Fazemos o que podemos. Não temos fins lucrativos, nem nenhum projeto de poder. Por isto mesmo, de maneira muito bem humorada, somos reconhecidos como poderosos. Um ciclo se fechou. Novos caminhos se abriram. O passarinho voou, voou. Leve, sem levar nenhum peso, porém adornado de pura realização.

Muitos chegaram a pensar, por ingenuidade, malícia ou necessidade, que os amigos do Projeto não existiam... Uma andorinha sozinha não faz verão.

Simplicidade é a tônica do grupo, espalhado por diversas regiões do país, realizando pequeninas tarefas de cidadania. Espalhados pelo Brasil e pelo mundo, como os nossos amigos ciganos.

Por este motivo, antecipamos a data real da comemoração e comemoramos, as instituições todas unidas e reunidas, próximo à data de comemoração do Dia Internacional dos Povos Ciganos (08/04), estabelecida pela International Romani Foundation/ONU em 1971.

Trabalhamos fundados em princípios éticos e plenos de valor. Nunca demos atenção para o que é menor ou mesquinho, assim como a etnia cigana. Assim, como Jesus, o Cristo ensinou.

Possivelmente por estes motivos, tudo foi abençoado e regiamente multiplicado. Nem contaremos tudo que vivenciamos e nos trouxe grande enriquecimento enquanto seres humanos que discutem idéias e formas de concretizá-las...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...