29 de jul de 2012

Pessoas de olhos azuis são menos capazes e menos inteligentes do que as outras... By Van



A todos os que buscam compreenderem o que nos cerca, entenderem os mecanismos que processam nossas convicções, tornarem-se mais conscientes, formarem opiniões mais embasadas e mais críticas, sugiro reservarem um tempo para assistirem ao documentário postado abaixo, nem que seja vendo um vídeo por dia. São nove vídeos legendados em português, com a duração de em média 8 minutos cada. Imperdíveis para os desejosos de entendimentos e saberes!

"Uma dinâmica de grupo (ou workshop) idealizada pela pedagoga americana Jane Elliot no fim dos anos 60, quando foi aplicada em forma de exercício na escola onde lecionava. Ganhou um prêmio Emmy. "Olhos Azuis" (Blue Eyed) mostra como o preconceito pode ser gerado, enraizado e multiplicado, numa pessoa ou grupo, até que se torne real, gerando discriminação, baixa auto-estima. Como uma pessoa (ou grupo) pode ser mantida num estado de inferioridade e desvantagem; com a sociedade construindo e perpetuando "ferramentas" para isso. Aqui, a discriminação baseada na cor dos olhos (azuis), espelha o que ocontece em nosso cotidiano. Na palestra, as pessoas com olhos azuis recebem os rótulos negativos usados contra mulheres, negros, homossexuais, deficientes, judeus, e minorias em geral... E se você acha que isso não se aplica a você. . . você está em um despertar rude. Blue Eyed é um documentário incrível, indispensável, impactante, forte. Que sirva de lição".  http://www.janeelliott.com/index.htm. *

Já pensaram o que aconteceria se a maioria, ou o grupo mais poderoso resolvesse afirmar e propagar esta ideia do título do post?


O documentário enfatiza mais a discriminação racial imposta aos negros americanos, uma realidade um pouco diferente da nossa, porém, as formas de discriminações, que variam de uma sociedade para outra, seja contra que grupo for e seja de qual maneira ela se apresente, são igualmente devastadoras e, sempre obedecem a um mesmo processo que passa-nos despercebido, mesmo sendo todos nós peças fundamentais deste processo. Somos pertencentes ao grupo discriminador ou ao discriminado. Não nos enganemos pensando que não fazemos parte de  nenhum dos dois grupos, pois, a dinâmica apresentada nos vídeos evidencia que toda pessoa é uma peça neste tabuleiro, sendo movimentada pelo desejo de poder de uma peça sobre a outra. É muito interessante como o documentário evidencia e expõe como tudo isto é gerado e fixado nas mentes e atitudes humanas sem que possamos perceber ou termos controle. Nunca foi tão clara a compreensão do sistema de exclusão que as sociedades promovem. Vale a pena assistir aos vídeos e entendermos como tudo se dá.

Nos vídeos, os que são constantemente citados como vítimas de preconceito, são: Negros, Mulheres, Judeus e Homossexuais, Jane Elliott não cita os Ciganos ao descrever preconceitos e discriminação, mais uma prova da invisibilidade deste povo, poucos se preocupam com a sua condição de discriminados, nem mesmo uma lutadora ardente contra o preconceito e o racismo leva em conta a condição perpetuada por séculos, em que vivem os Rromá. Um único momento em todo o documentário ela fala a palavra Ciganos, é quando cita uma frase dita por uma vítima sobrevivente dos campos de concentração nazista, sobre a sua devastadora conclusão a respeito de sua própria atitude. Jane Elliott encerra o documentário com esta frase:


“No final da segunda guerra mundial, quando eles limpavam os campos de concentração um Ministro Luterano disse": 
_"Quando se voltaram contra os judeus eu não era judeu e não fiz nada. Quando se voltaram contra os homossexuais eu não era homossexual e não fiz nada. Voltaram-se contra os Ciganos e não fiz nada. Quando se voltaram contra mim não havia ninguém para me defender". 
"Pensem sobre isto!” **
(Jane Elliott)


Parte 1


Parte 2


Parte3


Parte 4


Parte 5


Parte 6


Parte 7


Parte 8


Parte 9



Estejamos atentos, busquemos compreensões, rejeitemos o preconceito e as discriminações, contra qualquer pessoa ou etnia e, não nos esqueçamos de incluir os ciganos dentre aqueles que merecem  mais respeito e valorização. Não sejamos omissos, viremos este tabuleiro, façamos um novo jogo, sejamos a diferença, façamos a diferença!



Créditos:

* Trecho postado no blog http://olhosazuisfilme.blogspot.com.br, em 19 de abril de 2010. Trata-se do texto de apresentação de um dos vídeos sobre a dinâmica "Blue Eyes".                                                                                                              
** Citação feita por Jane Elliott ao final do último vídeo do documentário do canal de TV, GNT.                                                                                                                            
Todas as demais considerações são minhas.

Continuaremos postando a cada post o boletim das assinaturas no site Avaaz.org, sobre  a petição por melhor tratamento aos Ciganos, estamos agora com 517 assinaturas, contribua com a sua assinatura e ajude a diminuir as ações de discriminação e injustiça social, click neste link:

http://www.avaaz.org/po/petition/Tratemos_os_Europeus_ciganos_como_tratamos_os_restantes_Europeus/?launch

 Assine a petição, é muito fácil e rápido. Digite, nome, e-mail, CEP e envie. Seja você também uma das pessoas que lutam contra o preconceito e as injustiças. Obrigada! 


Van





24 comentários:

  1. Essa série é fantástica, a Jane não deixa pedra sobre pedra, ela dá na lata. Eu a assisti na tv tempos atrás.
    É bom a relembrarmos porque o preconceito anda em alta. Nestes tempos de mudança de ciclo tudo tende a se exacerbar, o bom e também o ruim.
    Já sou colaboradora da Avaaz e já tinha assinado a petição.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Atena

      Que maravilha recebe-la aqui no CANTO CIGANO!
      Seja bem vinda!

      Obrigada por contribuir com apetição, precisamos todos nós nos posicionarmos contra o preconceito, nem sempre percebido em nós. É preciso entendermos como ele se processa e no que resulta, para isto não conheço nada mais esclarecedor do que esta dinâmica da Jane Elliott, é realmente fantástica a maneira como ela desconstrói nossas convicções e ideias, como evidencia nossos comportamentos, com um profundo conhecimento dos mecanismos sociais que promovem os preconceitos e consequentes discriminações.

      De uma coisa estejamos certos, ninguém está livre de um dia sermos considerados a minoria, o diferente e, sofremos as mesmas penas que foram impostas a outros. É preciso nos informar, compreender, identificar e rejeitar qualquer tipo de preconceito.

      Obrigada por sua participação e sua ajuda na petição.

      Beijos

      Excluir
  2. Boa noite Van!

    Estes vídeos são fantásticos!
    Esta mulher de fibra que luta contra a discriminação, também sofreu discriminação por isto!
    Quando lutou pelo racismo, pelo preconceito, acabou prejudicando a própria família!
    Os filhos foram perseguidos e os negócios dos pais dela foram por água a baixo!
    Mas mesmo assim ela não desistiu!

    Ao assistir este vídeo nós podemos ver o quanto é horrível se sentir na pele de quem sofre pelo preconceito!
    Até se nós fossemos vítimas por algumas horas, seria insuportável, agora imagine uma vida inteira!

    Estes vídeo mostram que as vezes é necessário engolir um remédio amargo para se curar,
    os remédios doces não causam cura!
    Assim é na vida real...Ser tratado igualzinho aquele que sofre o preconceito é o remédio que todos nós deveríamos provar, seria amargo e difícil, mas nos levaria a conscientização de que:

    "o que não queremos para nós mesmos,não devemos fazer com os outros"
    Frase tão conhecida e por poucos usada...

    A criança que sofre preconceito, acaba se sentindo errada, começa a se esconder, a se sentir pequena, e fica sempre na defensiva.
    E é isto também que acontece com todo mundo que sofre discriminação, acaba se encolhendo ou se torna agressivo!

    Eu afirmo para você, estes vídeos transformam a nossa cabeça, eu não suporto preconceito, bulling, pessoas que maltratam as outras, e depois de ver estes vídeos eu passei a sentir mais repulsa ainda por este tipo de atitude!

    Vamos lutar contra isto, vamos pensar no nosso semelhante que está sofrendo por existir e ser diferente...
    e por incrível que pareça a pessoas se esquecem, que todos nós somos diferentes!
    Isto é o que acrescenta, isto é o que embeleza o mundo!

    Vamos lutar por todos os que sofrem discriminações!

    Eu afirmo aqui que quem assistir estes vídeos vai se sentir na vontade de lutar cada vez mais contra o preconceito!

    Esta mulher de fibra Jane Elliott, merece todos os aplausos do mundo inteiro porque apesar de sofrer discriminação por ter se engajado nesta luta contra o preconceito, não desistiu e prejudicou até a própria família, mas seguiu em frente e vai ficar na história como uma mulher corajosa que não vendou os olhos para o sofrimento alheio...
    Lindo...lindo...lindo....demais!

    Muito obrigada Van por compartilhar eu vou assistir novamente, estes vídeos é para se ver todos os dias!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Janete querida

      Estes videos provocaram em você o que provocaram em mim, a percepção muito clara do que sofrem os discriminados. Nossa sociedade faz isto com tanta naturalidade e frequência que nos habituamos à situação e não nos colocamos no lugar do outro, como se fosse normal vivermos assim, uns se sentindo seguros e poderosos e outros acuados e humilhados, fica tudo tão comum corriqueiro, que se acostumam a isso. e muitas vezes sequer admitimos que existe o preconceito, atribuímos inúmeras causas e justificativas aos nossos comportamentos e atitudes, menos o preconceito, este em geral não se admite.

      Você fez uma comparação perfeita: O remédio amargo. Muita coisa mudaria se cada um provasse por algumas horas do próprio tratamento que dispensa a outros, ou que vê dispensarem e não fazem nada para mudar esta situação. Quem sente na própria pele o resultado disto, quem toma o remédio amargo, se conscientiza.

      Todos deveriam ver estes vídeos, Janete, Sugiro até que você os poste também, porque sei que seu desejo é contribuir ao máximo.

      O esclarecimento é bom para todos.

      Jane Elliott é uma heroína por sua luta pacífica e solitária que tantas perdas lhe impôs e ainda assim a causa foi maior para ela do que as perdas pessoais.
      Uma mulher gigante, forte e persistente!

      Beijos

      Excluir
  3. Olá Van,

    Não conhecia esse seu outro blog, passei pelo "retalho que sou" e acabei caindo aqui pra ler sobre o tema que você postou.
    Vi os videos e ja conhecia alguns deles, luta e a história dessa corajosa mulher...
    Sua postagem é valiossíma e precisamos com certeza combater essa desgraça que é o preconceito. E essa petição é muito importante, acho que O esclarecimento é sempre importante para toda a sociedade.Ver esse vídeo e sentir um pouco a dor de quem sofre o preconceito.
    Jane Elliott é uma mulher de coragem, força, e com muita fibra.
    O Preconceito ultimamente esta aumentando assustadoramente, e muitos ainda não tiveram consciência desses atos. Muitas pessoas por vezes têm preconceito e nem dão conta, usa uma camuflagem em cima pra não admitir que seja preconceituoso. O preconceito é uma doença que as pessoas nascem com ela, cabe à própria pessoa não deixar que ela evolua, e ocupe espaço dentro da própria vida. Pra ser sincera te digo de coração, que até dentro da nossa própria familia existem pessoas que no fundo tem preconceito e não admite isso... Assim é a sociedade em geral no fundo ninguém tem preconceito, mais vamos colocar as coisas nas ordens inversas pra ver o que acontece. Vamos ficar impressionado com a numeração.

    Parabéns pela postagem, me fez refletir muito, sei o que é preconceito muito bem, porque convivo com pessaos que são discriminada diariamente, e isso dói na gente também.

    Beijos e ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Smareis

      Eu administro o CANTO CIGANO juntamente com vários outros administradores. Sua presença aqui me alegra muito.

      Jane Elliot é extremamente corajosa e grande como pessoa, pois abriu mão da sua confortável posição de não discriminada para ser discriminada tal qual aqueles aos quais ela defende, escolheu viver no outro lado, o lado dos rejeitados, quem faz isto? Só os grandes como ela.

      Seu comentário é muito importante, realmente a intolerância tem crescido, as ameaças que as discriminações provocam tem sido cada vez maiores e você diz muito bem quando compara o preconceito à uma doença, é realmente o que ele é, uma doença social. A Janete foi feliz ao comparar o método de conscientização de Jane Elliot a um remédio amargo. A dinâmica que ela faz é como uma vacina, onde se adquire imunidade contra o veneno provando uma pequenina dose dele.

      Provar do próprio veneno da discriminação e desvalorização de um grupo ou pessoa deve ser doloroso, mas muito eficiente para fazer as pessoas encararem o que camuflam, se esquivam e negam: O próprio preconceito que carregam em si e nunca o admitem, ou a omissão em não defender os que são maltratados por preconceito.

      Me parece que fogem deste tema, se omitem e se esquivam, por temer se envolverem com ele e chamarem para si a discriminação que tentam combater, mais ou menos como aconteceu coma Jane, as pessoas temem que ao defenderem os discriminados sejam vistas como um deles e passem a sofrer elas também a discriminação que buscam reduzir. Acho que no fundo se sentem até aliviadas por ter outros passando por isto, pois enquanto estiverem ocupados com os outros elas estarão sendo deixadas em paz, no fundo dão graças por isto acontecer com o outro e não consigo.Passam de fininho por estes assuntos, sem se envolverem, sem se posicionarem, querem sossego e o outro que se dane com seus problemas.

      É um imenso engano agirem assim, a história já nos provou que o preconceito muda seus conceitos, muda de lado e todos estão sujeitos a serem um dia perseguidos e discriminados, como evidencia a frase de um pastor ao final da segunda guerra mundial quando este está deixando o campo de concentração, por sorte vivo, que a Jane cita ao final do seu documentário, e eu postei aqui.

      Dói sim, dói muito na gente, depois que descobri o que os Ciganos passaram e passam, sinto a dor deles, nunca mais serei a mesma depois de descobrir isto, e tem tanta gente passando por coisa semelhante, de tantas etnias e condições diferentes. Muitos ainda irão passar, talvez alguns que hoje a gente nem sonhe que um da irão sofrer estas agressões morais e psicológicas, mas a história caminha carregando consigo as escuridões da humanidade. Tentemos ser luz, nem que seja uma estrelinha no infinito universo.

      Obrigada por nos presentear com a sua luz aqui hoje.

      Um beijo com carinho!

      Excluir
  4. Olá, Van.
    É triste constatar que o preconceito pode ser fabricado facilmente, como se fosse um produto industrializado.
    Lembrei da frase "o preço da liberdade é a eterna vigilância", ou seja, se não pensarmos e refletirmos por nós mesmos, alguém vai acabar fazendo isso por nós.
    Abraço, Van.

    ResponderExcluir
  5. Oi Jacques

    É triste sim. O desejo de um homem sobrepujar o outro sempre existiu, parece ser isto uma herança da natureza, onde a regra é existir o predador e a vítima, dominante e dominados. Mas, se a natureza usa deste recurso para selecionar os mais fortes e perpetuar espécies, o mesmo não acontece nas sociedades. Em uma sociedade todos possuem mecanismos de proteção, a regra de sobrevivência não é mais a do mais forte, as relações já deveriam ter se tornado mais racionais e mais humanizadas, não somos mais feras necessitando engolir o outro para sobreviver, mesmo assim o desejo de poder persiste.

    Vigilância eterna é fundamental, para com os nossos atos, para com os atos alheios, se relaxarmos atrocidades podem nascer de uma fagulha de preconceito, que se alimentada virará incêndio, os Holocaustos nos comprovam isto.

    Pensemos, Jacques, reflitamos, busquemos conhecimentos, para garantirmos a nossa liberdade.

    Obrigada por sua presença!

    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Esse sem dúvida foi o tipo de documentário que mudou a minha vida a alguns anos atrás. A partir dele, existem mais janelas, mais portas, menos arrogancia e um pouco mais de entendimento.
    O que é preconceito???

    Boa matéria e a tempo nos tempos que não passam. No tempo da intolerância e da insensatez.

    bjs nossos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida

      Você também recebeu a uns anos atrás a "vacina" aplicada pela Jane Elliott?

      Penso que o que ela faz é vacinar as pessoas contra o preconceito, ela aplica-lhes um pouquinho deste veneno terrível, em quantidade suficiente para produzir nas pessoas anticorpos contra o mal do preconceito. Realmente transforma nossa visão, muda vidas e comportamentos.

      E o mais importante, nos enche de esperança, que é tudo que precisamos ter para levarmos adiante nossos sonhos de igualdade e respeito.

      Aquele diálogo dela ao final, me deu imensa fortaleza e esperança:
      Quando um homem diz a ela que acha impossível uma pessoa conseguir mudar algo sozinha, e ela pergunta a ele se havia conseguido transforma-lo de alguma forma naquele dia. Ele diz que sim e ela o pergunta: _"Quantas pessoas você acha que eu sou?"

      Este diálogo representou para mim uma injeção de ânimo.

      Querida, penso que, se as pessoas continuarem se omitindo para viverem comodamente, o mundo continuará injusto, continuará sendo o mesmo, mas eu não preciso ser a mesma, eu posso transformar-me e estou tentando, para sentir que fiz melhor do que apenas não discriminar, para sentir que não me acomodei, pois omissão também promove discriminação.

      Alegria...Olhar adiante, caminho constante!

      Beijos e obrigada por vir.

      Excluir
  7. Excelente postagem, polêmica e realista. As minorias são sempre massacradas e esquecidas.
    Realmente é impressionante como se fomentam e disseminam as discrinações e preconceiros. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Solange

      Muito obrigada por participar dando a sua opinião. Obrigada pelo incentivo!

      No terreno dos preconceitos tudo é tão camuflado, tudo tão omisso, como lutar contra um inimigo que não se apresenta? Que age sob o manto de retidão e justifica-se como sendo uma punição ao incorreto, ao ilegal. Mas o que é incorreto realmente? É a ação de um Cigano, um homossexual, um negro, uma pessoa excluída que levanta suspeitas contra si ou é a sua etnia, sua orientação sexual, sua cor de pele e textura de cabelos, sua condição social? O que realmente torna essas pessoas suspeitas e rejeitáveis? Haverão sempre que inventarem justificavas para si mesmos e para os outros, para rejeitar ou suspeitar dessas pessoas.

      Não é polêmico discriminar minorias, mas torna-se polêmico aplicar este mesmo tratamento a alguns membros da classe dominante, como Jane fez.

      Um beijo, querida!

      Excluir
  8. Querida, Van!
    Você tem todo o meu apoio! Sempre!
    As sementes que você planta, com certeza darão bons frutos...
    Vou assistir a esses vídeos com o maior prazer. Um por dia, foi uma excelente sugestão para essa nossa falta de tempo. Rsrs
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Van...
      Voltei para assistir ao 1º vídeo e não consegui parar até o último. Muito obrigada por essa partilha.
      Sabe, há uns 15 anos, mais ou menos, assisti um filme chamado "Tempo de Matar". Eu era muito nova na época, mas a história mudou completamente a minha maneira de pensar. Eu não sabia o que significavam as palavras preconceito e racismo, apenas achava que sabia. Naquele momento eu compreendi quanta culpa nós possuímos. Muita culpa, seja por ação, por omissão ou por ignorância...
      Precisamos estar mesmo sempre atentos, você tem razão.
      Esse documentário é incrível. Obrigada, uma vez mais.
      Um abraço!

      PS: Querida amiga, eu já assinei a petição. Espero ter contribuído.

      Excluir
    2. Isa querida,

      ter pessoas como você ao meu lado, apoiando minhas ideias de igualdade e mais dignidade para todos, confirma que estou no caminho certo, pois seu senso de justiça e sua humanidade são bem conhecidos.

      Assista com calma, na medida do seu tempo disponível. Quando terminar venha nos contar o que achou.

      Um beijo com carinho!

      Excluir
    3. Oi Isa

      Estes vídeos nos impressionam e prendem tanto, que realmente é difícil parar de assisti-los.

      Jane Elliott faz conosco o que você disse que o filme Tempo de Matar fez com você a anos atrás. Joga na nossa cara o que omitimos, o que desconhecemos, o que fazemos.

      A maioria das pessoas são como você diz que era, se dizem não racistas, não preconceituosas, mas na verdade não sabem o que é agir com racismo, o que é ser preconceituoso, é preciso termos conhecimento sobre este assunto tão complexo que é o preconceito, para sabermos evitá-lo.

      Eu é que agradeço. Sua ajuda foi preciosa sim, ao assinar a petição, ao apoiar-nos, ao participar com seus comentários.

      Sempre doce e querida, Isa, obrigada!

      Beijos

      Excluir
  9. Oi VAN,

    Demorei um pouco para ver os vídeos, pois alguns demoram para carregar, mas valeu a pena.
    Fiquei impressionada com a Jane Elliott. Que fortaleza de mulher! Sofreu perdas dolorosas em
    razão de sua luta e ainda assim continuou abraçada à sua bandeira.
    O racismo é algo muito forte entre os seres humanos.
    Reconheço que pecamos por omissão.
    Os vídeos são bem esclarecedores, pois nos fazem sentir na pele o mesmo que sentem aqueles que se tornam excluídos ou marginalizados pela sociedade, em nome do preconceito. Também é incrível perceber como o preconceito chega a ser imposto psicologicamente.

    Um grande alerta para cada um de nós, que, no fundo, mesmo negando, mantemos, ainda que de leve, algum tipo de preconceito.

    Já assinei a petição.

    Parabéns pelo lindo trabalho.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vera

      Jane Elliott é uma heroína, por tudo com o que ela teve de lidar e todas as perdas que sua luta a impôs. Ela esclarece-nos muito bem estas suas conclusões: Somos racistas ou somos omissos. Há uma imensa pressão para que as pessoas não defendam as vítimas de preconceito, é uma das formas que a sociedade busca manter acesa a chama da exclusão, boicotando aqueles que se colocarem contra ela. É preciso termos coragem, não basta só não sermos preconceituosos e discriminadores, é preciso não sermos e também não permitirmos que sejam.

      Muito obrigada querida!

      Beijos

      Excluir
  10. Oi Van, só vi os dois primeiros vídeos, mas amanhã voltarei para ver o restante. O pensamento selecionado por você já resume tudo e Jane é uma grande mulher. Lembrei agora daquele rapaz que foi defender um mendigo e foi espancado. Ele é uma exceção, pois não se omitiu e ainda pagou por isso. O pior é que os responsáveis nem punidos serão. Omissão e preconceito assolam a sociedade. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sergio

      Veja sim, é um grande aprendizado. Para mim foi.

      Este é um dos motivos da omissão das pessoas, nenhuma quer arcar com as consequências que poderão sofrer por se "misturarem" aos excluídos, por defendê-los. Mas, estas consequências só existem exatamente por causa das omissões, se todos fizéssemos como este rapaz que defendeu o mendigo ou a Jane Elliott fizeram, não haveria resistência contra a defesa dos discriminados, pelo contrário, a defesa seria a regra.

      Cada um que se cala, que se omite, está ajudando a espancar, a maltratar e discriminar. É preciso termos consciência do que os nossos atos ou a falta deles causa.

      Muito obrigada por sua presença querida.

      Beijos

      Excluir
  11. Filmes com ensinamentos servem como aprendizado para que possamos absorver o que há de melhor neles, parabéns pela atitude de partilhá-lhos Van! beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Barbie

      Estes vídeos foram tão importantes para mim que desejei compartilhar com todos e desejei que todos descobrissem o que eles me fizeram descobrir.

      Um beijo querida. Obrigada por nos dar a honra da sua presença aqui.

      Excluir
  12. Qualquer forma de "preconceito", "pré-conceito", "descriminação", gera um onda de terríveis consequências e dor.
    Qualquer forma de expor essa "ferida" e falar abertamente da hipocrisia de "Alguns Seres Humanos, é MUITO, SUPER VÁLIDA SEMPRE.!!!!
    Amei vir por aqui, e conhecer um canto de encanto.
    Beijinhos de luz.
    Lua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lua Negra

      Qualquer um que contribui, para entendimentos e compreensões tem uma atitude muito válida sim.

      Que bom você ter gostado de vir aqui. Seja sempre bem vinda, sua presença será sempre um prazer para todos nós do CANTO CIGANO.

      Beijinhos de luz!

      Excluir

Seu comentário é muito importante para o CANTO CIGANO.
Diga-nos o que achou desse post.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...