11 de set de 2012

Ausência... E a presença da harmonia entre as culturas, dos Bálcãs, Cigana e Africana... By Van






Ausência, ausência
Se asas eu tivesse para voar
Através da distancia
Se eu fosse uma gazela 
Para correr sem cansaço algum

Então poderia amanhecer
Em teu peito
E nunca mais ausência
Seria nossa realidade

Mas só em meus pensamentos
Posso viajar sem medo
E, minha liberdade a tenho
Só em meus sonhos

Em meus sonhos sou forte
E tenho tua proteção
E tenho só teu carinho
E teu sorriso


Ai, solidão
Assim como o sol sozinho no alto
Pode resplandecer
Também pode cegar com seu fulgor

Sem saber aonde iluminar
Nem nenhum lugar aonde ir
Ai, solidão
É meu destino



*Tradução livre feita por Van
 



Ausência - Música do filme Undeground  
Goran Bregovic (o de branco tocando baixo) 
e sua orquestra, cantando no idioma 
crioulo cabo-verdiano, dialeto que tem 
sua raiz na língua portuguesa 


O Bósnio Goran Bregovic (Sarajevo 1950), filho de mãe ortodoxa sérvia e pai católico bósnio, casado com uma bósnia muçulmana e residente em Paris. Eclético em seu universo musical, foi ídolo pop e celebridade em seu país, quando fazia parte de uma banda de punk rock chamada Bijelo Dugme. Após este sucesso sua musicalidade passou a percorrer as paisagens balcânicas dos ciganos do leste Europeu. A história dos Bálcãs se confunde com a história dos ciganos. 




No link acima a sinopse e ótimos comentários 
sobre o filme Iuguslavo que participou do 
Festival de Cannes em 1988
"Uma obra prima inteligente, sensível, 
sutil e emocionante, que encanta". 
Segundo Hsu do blog "Diário de um cinéfilo"


Bregovic é responsável pela trilha sonora dos filmes de temática cigana do cineasta sérvio, Emir Kusturica, "O tempo dos ciganos" e "Underground - Mentiras de guerra". É deste último, a música "Ausência". O músico e sua orquestra se apresentaram no Brasil em 1999 no 8º Festival Internacional de Artes Cênicas (Fiac) cujo tema foi a diáspora Cigana, idealizado pela atriz Ruth Escobar, no evento apresentaram-se artistas de todas as partes do mundo por onde os ciganos se espalharam: Ìndia, Egito, Bálcãs, Espanha, etc. 





Música de Goran Bregovic, Sarajevo
Cantada por Cesária Évora, Cabo Verde



Cesária Évora (Mindelo, Cabo Verde,1941 — Dezembro de 2011) foi a cantora de maior reconhecimento internacional de toda história da música popular cabo-verdiana. Era conhecida como "a diva dos pés descalços", por se apresentar descalça nos palcos. Em 2004 conquistou um premio Grammy de melhor álbum de world music contemporânea. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, distinguiu-a, em 2009, com a medalha da Legião de Honra.


A união dos povos e suas culturas tão distintas é algo belíssimo de se ver, resulta sempre em riquezas artísticas e culturais! A harmonia e beleza expressas no tango de Bregovic na voz de Cesária, faz-me pensar que a união é tudo que falta para a humanidade descobrir a felicidade encerrada em si mesmo.


Cesária Évora e Goran Bregovic, ambos filhos de povos sofridos, maltratados e violentados, cantando ritmos de outro povo maltratado, os ciganos. Enfeitando a arte, a música e a humanidade com a beleza que todo ser encerra em si, não importando qual a sua etnia. Pessoas foram feitas para brilhar, e, se a humanidade permite, elas brilham e somam seus brilhos formando clarão. 

Sorte a nossa que os assistimos!

                                           
                                        Van

                                  
Inspiração musical
http://cozinhadosvurdons.blogspot.com.br/2012/09/sergio-aires-pobreza-e-negacao-dos.html

Bibliografia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Emir_Kusturica







10 comentários:

  1. Van, vc é formidável, sempre nos enriquecendo com os seus textos. Adorei. Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eder

      formidável é você amigo, com sua sensibilidade, seu talento criativo. Formidável são os artistas que enchem o mundo de coisa bonita como esta música e as interpretações dela.

      Obrigada por vir, fico super feliz que você tenha gostado.

      Beijos

      Excluir
  2. Sastipên,

    nais tukê,

    bem vinda a casa.

    devlesa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida

      Sastipê

      Minha casa é onde recebo acolhida. Obrigada por me acolher, obrigada por abrir-me as portas!
      Me sinto realmente bem vinda, retribuo com meu amor e admiração profunda pelo doce equilíbrio e sensatez de vocês, meninas cozinheiras queridas!

      Devlesa

      Excluir
  3. Van, realmente a união dos povos é admirável mesmo. Não foi por acaso que você adorou essa sua escrita, está maravilhosa mesmo. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sergio

      Adorei esta escrita pelas descobertas que ela me proporcionou, adoro conhecer as coisas, as pessoas, suas artes, seus rumos.

      A união dos povos cria em nós esperança, esperança de um mundo fraterno e acolhedor e, é realmente admirável assistir a isso, você tem razão.

      Beijos

      Excluir
  4. Van,

    Que poema belíssimo, acompanhado dessa união que descreve com tamanha atenção, te admiro pelo carinho e vontade que tem em proporcionar ao próximo uma vida melhor e mais prospera.

    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cla querida

      Obrigada!

      Este é realmente um desejo, um desejo de que a vida seja melhor a mais próspera para todos, porque pessoas valem pelo que são e não pelos valores que inventamos e atribuirmos a elas, como valores econômicos, culturais ou étnicos.

      Tudo acaba um dia, tudo rui, materialmente falando, poderes se alternam, a única coisa que é eterna é a moral e a herança emocional que um indivíduo deixa, que se perpetua em seus descendentes, é este o real valor de uma pessoa, por ser o que a eterniza.

      Beijo imenso!

      Excluir

  5. Oi Van,
    Belo conjunto esse: poesia, textos, músicas e História.
    Realmente, somos pessoas privilegiadas, porque temos a capacidade de compreender o mundo e suas razões, sem, contudo, necessariamente aceitá-las (todas) como absolutamente verdadeiras.
    Sempre há e haverá uma alternativa.
    Gostei. Muito.
    Se puder, dê uma olhadinha aqui: http://blogdabethmuniz.blogspot.com.br/2012/03/ah-ta-com-pulga-na-cueca-ta-sim-vai.html#.UFIMQLJlR3c

    ResponderExcluir
  6. Oi Beth

    Somos sim, esta é a beleza de viver em um mundo tão diverso, a liberdade de aceitar o que corresponde aos nossos conceitos, a compreensão daquilo que não são nossas ideias ou conceitos e a certeza de que tudo pode ter um rumo diferente, um outro olhar, uma alternativa nova. O descobrir é infinito!

    Vou ver a postagem sim, agorinha. Obrigada por indica-la.

    Beijo

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para o CANTO CIGANO.
Diga-nos o que achou desse post.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...