28 de nov de 2012

Eu grito! E você? Ouve? By Van





Uma população desconhecida e numerosa. 
O governo brasileiro estima que já são 800.000 ciganos vivendo no Brasil. Contra séculos de discriminação a arma deste povo sempre foi o isolamento. Mas nos últimos anos vem crescendo a necessidade e o desejo de se fazer conhecer e ser respeitado, através de movimentos que visam devolver aos Romá  seus direitos de cidadãos brasileiros que são, levando-os ao conforto e à segurança de habitar sua nação sem nela sentir-se um estrangeiro.

É recente a criação de políticas públicas com este fim. Há quatro anos foi instituído por meio de decreto e assinado pelo Presidente da República, o dia 24 de maio como o Dia Nacional dos Ciganos, em reconhecimento à contribuição da etnia Romani na formação da história e da identidade cultural brasileira.
  
  A Secretaria de Promoção de Políticas da Igualdade Racial - SEPPIR, tem apresentado objetivos e metas para esta população, como levantamento de dados e comunidades, visando a incersão em programas do governo, como os da saúde, e incluindo a implementação, juntamente com o MEC, de uma campanha de divulgação nas escolas, do Dia Nacional do Cigano, para que se promova, o conhecimento e o respeito pela história deste povo.

Tudo isto é bom, justo e imprescindível, mas ainda é muito pouco.

Quem define tudo em um único desejo é Cezarina Devos Macedo, descendente Calon, artista plástica, poetisa, escritora e blogueira:

"O que os ciganos precisam e desejam é conviver pacificamente. É serem respeitados e aceitos como são. Queremos ser cidadãos da terra onde nascemos e onde vivemos, sem que precisemos reivindicar nossos direitos e deveres". 

Enquanto isto não acontece, eu digo como diz o Ultraje a Rigor: "A gente somos inútil". 

Mas... 
Temos o poder do grito.
Eu grito!
E você?
Ouve?



Van


Visite o Alma Cigana de Cezarina Devos Macedo




6 comentários:

  1. OLá Van!

    Amiga faço das suas palavras as minhas!

    Numa época em que se diz que devemos respeitar as diferenças, muitos não respeitam!
    Ao dizer que eu respeito o meu semelhante isto não pode ser de boca para fora, tem que ser do fundo do coração!

    Deixo aqui o meu grito também!

    O meu respeito e admiração por este Povo pacífico, que tanta luta por direitos iguais!


    Parabéns pelo post, a nossa voz por causas justas nunca deve se calar!

    Um abraço caloroso

    ResponderExcluir
  2. Oi Janete querida

    Você é das que ouve, e ouve muito, usando também a sua voz para dar voz aos que foram a muito calados.

    Um beijo querida, e vamos juntas unindo as nossas vozes em um grito que não fere, mas cicatriza feridas e tenta mostrar um novo caminho.

    ResponderExcluir
  3. Sim.
    Grito, falo e canto!
    Só não encanto, como o povo cigano...rsrsrs
    Total apoio.
    Beijo Van.

    ResponderExcluir
  4. Ao contrário minha querida Beth

    Seu canto de igualdade social, de consciência humanitária, é puro encanto. Me encantou e cativou!

    Sei que cantamos juntas e nosso coro há de ser ouvido em algum lugar, de alguma forma, que talvez não seja a solução dos problemas, mas que seja pelo menos um olhar para ele, pois não se conquista aquilo que não se vê ou ouve. Vendo e ouvindo abrem-se todas as possibilidades. Cantemos Beth, cantemos!

    Um beijo grande e obrigada pelo apoio de sempre.

    ResponderExcluir
  5. Bom seria se o canto tivesse a sonoridade dos rouxinóis,mas antes que possamos ouví-los,faz-se necessário o brado retumbante desta 'coisa' sem definições como as perseguições,preconceitos e o não reconhecimento a cidadania ou a existência de um povo
    Procrastinam tudo,em 1976,Martin Luther King convocara os irmãos negros a se indignarem e muito pouco mudou
    Estas coisas são difíceis de entrarem na minha cabeça,mesmo que eu viva mais 100 anos,um dia, 23 horas e 59 minutos e 59 segundos-morrerei sem compreender
    Podeis gritar ,ôh Magnífica,muitas outros gritos unirão aos vossos brados
    abraços fortes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querido Tutankamon

      Sua presença é sempre exultante para mim. Ela engrossa o coro dos que precisam gritar por não suportarem a falta da sonoridade harmoniosa do canto do rouxinol.

      Estas questões são como você disse, incompreensíveis e provocam uma reação em cadeia, uma cadeia difícil de ser quebrada. Mas, toda mudança só ocorre porque um dia alguém acreditou que ela fosse possível, então acredito!

      Abraços muito fortes, da amiga que te quer bem e admira muito.

      Excluir

Seu comentário é muito importante para o CANTO CIGANO.
Diga-nos o que achou desse post.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...